top of page

Tráfico de bebês

Uma história brasileira dos anos 1980

Nos anos 1980, em meio a casos frequentes de desaparecimentos de crianças, uma quadrilha roubava recém-nascidos de maternidades e aliciava famílias pobres para vender seus bebês por valores simbólicos. As crianças, então, eram levadas para fora do país e adotadas por famílias que chegavam a pagar até US$ 50 mil. 

 

Na maioria dos casos, os pais adotivos não sabiam estar fazendo parte de um esquema ilegal - queriam apenas adotar um filho. No Brasil, as famílias diziam desconhecer que os filhos seriam vendidos.

 

Hoje, os adotados têm cerca de 40 anos e buscam suas origens, mas só encontram dificuldades porque os papéis eram falsificados com o envolvimento de policiais federais, juízes, juizados de menores, profissionais de saúde em maternidades etc.

 

O nome mais conhecido do esquema é o de Arlete Hilu, que chegou a ser condenada e presa. 

O esquema, bem resumido

Saiba mais

Acesse o site oficial

EM BREVE

Como parte da pesquisa, montei um site sobre o esquema, que explica de forma detalhada como funcionava e quem estava envolvido.

Leia histórias no blog

 

Acompanhe o blog e conheça histórias relacionadas aos casos de sequestro de crianças e de aliciamento de famílias para fins de tráfico para adoção.

O esquema na imprensa

 

O tráfico de bebês teve grande repercussão. Esta coleção reúne recortes que mostram como foi a cobertura no Brasil e no exterior.

Quer ajudar com informações?

Se você tem informações relevantes sobre o tráfico de bebês ou quer fazer uma denúncia anônima sobre o esquema dos anos 1980 ou de casos atuais, preencha o formulário ou envie uma mensagem pelas redes sociais.

 

Você também pode fazer isso pelo site (EM BREVE).

  • Facebook
  • X
  • Instagram
  • LinkedIn

Você pode fazer uma denúncia anônima preenchendo o formulário e selecionando a opção acima. Você escolhe se deseja informar seu nome, mas é necessário informar um email ou número de telefone para que eu possa entrar em contato com você. Seus dados nunca serão divulgados. Você ainda pode escrever por email no endereço gabriel.toueg@traficodebebes.info.​ Seus dados pessoais e a sua denúncia serão SEMPRE tratados no mais rigoroso sigilo. 

Muito obrigado pela sua mensagem e colaboração

bottom of page